sexta-feira, 11 de maio de 2018

Bolsonaro para presidente?

Olá a todos. Não gosto muito de falar de política, pois além de ser um tema polêmico, gera mais dúvidas e confusões do que esclarecimentos. Investidores em geral devem atentar para o cenário político, uma vez que a política influencia, e muito, a economia de um país. A figura do político (e ex militar) Bolsonaro, gera, ainda mais, conversas acaloradas em qualquer meio social em que se discute sobre quem será um bom candidato a presidência para se votar nas próximas eleições. Antes de falar dele propriamente, vamos voltar nossa atenção ao seu passado, aos fatos e suas consequências.

Vida militar e política

Formou-se na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) em 1977 e chegou até o posto de Capitão no Exercito quando em 1988 saiu da ativa para ingressar na vida política em 1988 elegendo-se vereador da cidade do Rio de Janeiro. No Exercito, teve alguns atritos com seus superiores no que tange a liderança agressiva aos seus subordinados e sua "excessiva ambição". 

Em 1986 foi preso por 15 dias após escrever para revista Veja sobre os baixos salários recebidos pelos militares (será que eu corro esse risco?). Foi absolvido pelo Superior Tribunal Militar dois anos depois. Ele chegou a desenhar a operação "beco sem saída", que tratava de explodir bombas de menor potência em banheiros de quartéis para chamar a atenção dos autoridades militares e protestar a favor de melhorias de salário. A operação estava planejada para não haver vítimas, apenas prejuízo material. 

Começou sua vida pública como político em 1988. Ficou conhecido por suas idéias nacionalistas, conservadoras e por suas críticas ao comunismo e à esquerda. Em 2014, foi reeleito como deputado federal mais votado no Rio de Janeiro.

Frases polêmicas

Bolsonaro não apenas foi politicamente incorreto em algumas frases, como também foi além, sendo preconceituosos e desprovido de bom senso ao proferir certas colocações como:

- Disse que não estupraria a deputada Maria do Rosário porque ela "não merece".


- “Eu fui num quilombo. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles”

-  "índios fedorentos, não educados e não falantes de nossa língua" possuem 12% das terras brasileiras e fazem lobby no Congresso Nacional."

- "Não sei qual é a adesão dos comandantes, mas, caso venham reduzir o efetivo [das Forças Armadas] é menos gente nas ruas para fazer frente aos marginais do MST, dos haitianossenegalesesbolivianos e tudo que é escória do mundo que, agora, está chegando os sírios também. A escória do mundo está chegando ao Brasil como se nós não tivéssemos problema demais para resolver."

"Se o filho começa a ficar assim, meio gayzinho, [ele] leva um couro e muda o comportamento dele."

- "Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, aí no quinto eu dei uma fraquejada e veio uma mulher."

Consequências 

- Em virtude das declarações feitas durante as discussões com Maria do Rosário, Bolsonaro foi condenado em primeira instância por danos morais em setembro de 2015. Em junho de 2016, o Supremo Tribunal Federal (STF), ao analisar denúncia da Procuradoria Geral da República e queixa da própria deputada, decidiu abrir duas ações penais contra o deputado Bolsonaro. Em uma decisão por quatro votos contra um, a Segunda Turma do STF entendeu que além de incitar a prática do estupro, Bolsonaro ofendeu a honra da colega. Como resultado o deputado tornou-se réu pela suposta prática de apologia ao crime e por injúria. A denúncia contra Bolsonaro por apologia ao crime foi apresentada em dezembro de 2014 por Ela Wiecko (vice-procuradora-geral da República), e caso condenado, ele pode ser punido com pena de 3 a 6 meses de prisão, mais multa. Em 15 de agosto de 2017, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a decisão da primeira instância e determinou que o parlamentar pague uma indenização de 10 mil reais para Maria do Rosário.

- Em 9 novembro de 2017, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro condenou Bolsonaro a pagar uma multa de 150 mil reais por dano moral coletivo devido a declarações dadas pelo parlamentar em 2011 ao programa CQC, quando afirmou que "não corre o risco" de ter um filho homossexual porque seus filhos têm uma "boa educação". A juíza Luciana Teixeira disse que o deputado abusou do seu direito de livre expressão para cometer ato ilícito. "Não se pode deliberadamente agredir e humilhar, ignorando-se os princípios da igualdade e isonomia, com base na invocação à liberdade de expressão"

Minha opinião 

Há um claro despreparo deste político na vida política. Alguém que se proponha a ter vida pública, não pode, sob hipótese alguma fazer declarações de ordem preconceituosa. Todos nós temos algum preconceito, mas não é por isso que vou sair por aí espalhando esse mesmos preconceitos igual a um idiota

Penso que faz declarações agressivas de propósito, como um marketing pessoal, para chamar a atenção da mídia. Dá vontade de falar: - Cale a boca Bolsonaro ! Não sei como seus assessores não o orientam em relação a esse aspecto. Em outros momentos a gente ri dele e de suas frases politicamente incorretas, que todos nós pensamos, porém não falamos.

Não há duvida que teremos candidatos mais mal preparados que este senhor, e de todos eles, Bolsonaro talvez seja o menos pior. Resta a nós, brasileiros, rezar, caso este político venha a vencer as eleições, que crie juízo e não tome decisões e medidas extremadas.

Opinião da mídia controladora

Recentemente está passando uma matéria nos telejornais a respeito do possível envolvimento do General Ernesto Geisel, dizendo que ele autorizava execução de opositores durante a ditadura militar. As pessoas não se perguntam o porquê da CIA  desenterrar essa "verdade"? Não estaria esta agência trabalhando com dados manipulados para controlar a política de um país (lembram dos casos de espionagem da Petrobras)?

Nada mais estranho do que uma Agência do governo americano se evolver nessa história, justamente em época de eleições. Se tem uma coisa que, nós militares defendemos é a democracia, a liberdade e a constituição. Não é papel das forças armadas governar um país, mas defender a soberania do Estado e garantir a lei e a ordem no país. Estão querendo atacar diretamente o candidato Bolsonaro, e indiretamente difamar os militares brasileiros (Só no BR que os militares são desvalorizados), por estarmos incomodando políticos e intelectuais de esquerda (e de direita também) desse país.

Naquela época havia uma clara intenção da política vigente de esquerda de tornar o estado brasileiro numa ditadura comunista. Devemos lembrar que estávamos no auge da guerra fria e sua bipolaridade política-econômica mundial. O que os militares fizeram foi nada mais que proteger o direito de propriedade privada, a liberdade e o sistema capitalista vigente através de um golpe de estado, para, posteriormente, devolver o poder aos civis e estabelecer a democracia novamente, o que de fato ocorreu. Se morreu gente naquela época? Sem dúvidas que morreu, mas foram bem poucas se compararmos ao que Stálin fez na União Soviética. Se houve excessos? Claro que houve, não podemos negar esse fatos. Mas o que é a guerra (e todas suas atrocidades) se não a prática da política, por outros meios?

Votem com consciência em 2018!

Obs.: Só nesse país, que a eleição é depois da Copa, será que é de propósito?


“…É graças aos soldados, e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião que desejamos. É graças aos soldados, e não aos jornalistas, que temos liberdade de imprensa. É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos falar em público. É graças aos soldados, e não aos professores, que existe liberdade de ensino. É graças aos soldados, e não aos advogados, que existe o direito a um julgamento justo. É graças aos soldados, e não aos políticos, que podemos votar…”

BARACK OBAMA no MEMORIAL DAY (durante a cerimônia do Dia do Veterano) há alguns dias.
Dedicado àqueles que perguntam “Para que servem os militares?”

12 comentários:

  1. Primeira vez no blog e já gostei
    ..parabéns pelo texto sem direcionamento politico ...stay on the fence

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Madrugando, na verdade eu quis mostrar que esse candidato cometeu muitos erros infantis pra alguém que se proponha a ter vida pública. No português mais claro, ele se queimou! Mas mesmo com todas essas bizarrices, me posicionei de maneira sutil, disse que talvez ele seja nossa melhor escolha em relação aos outros. Abraço

      Excluir
  2. Olá,
    Passando por aqui para informar que o ranking de blogs e sites de finanças 2018 está no ar...
    http://webinformado.com.br/blogs-de-financas-e-investimentos/
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pelo trabalho Alexandre (Uó), eu não conhecia essa ferramenta SimilarWeb. Considero vc nosso maior elo de ligação entre os blogueiros de finanças, continue incentivando a galera! Abraços

      Excluir
  3. Olá HI,

    No meu ponto de vista Bolsonaro mesmo falando algumas besteiras ele é o melhor candidato. Temos que tirar essa esquerda do poder. Claro que ele não vai ser o salvador da pátria.

    Você pegou algumas frases aí fora do contexto.
    Essa do CQC foi editada. A da fraquejada foi uma brincadeira. É só você procurar que você vai entender. Se for pegar o que a mídia grande fala, todos vão achar que ele é homofóbico, racista, etc. Isso muita gente fala dele e que não é verdade.

    Barack Obama pelo menos falou alguma coisa que preste, mas não gosto dele como politico.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Fala Cowboy!

    Concordo com vc, ele é nosso melhor (ou menos pior) candidato. Considero a esquerda brasileira uma das mais burras e retrógrada do mundo, só ver a qualidade dos discursos deles.

    Sobre o episódio no CQC, foi que ele disse que seus filhos não correm esse risco (de se envolver) com homossexuais. Não disse em relação a negros como o CQC quis mostrar editando o vídeo. Mas mesmo assim ele cometeu um erro ao se dirigir aos homossexuais de maneira agressiva e foi, portanto, condenado. Dá uma olhada aqui:
    https://www.youtube.com/watch?v=fByXkFCMsAA

    O programa CQC caiu no meu conceito, editando e manipulando informações: https://www.youtube.com/watch?v=7QTk-Sctiw0

    Na minha opinião, o maior mérito de Obama foi ter passado pela crise, recuperando o crescimento e combatendo o desemprego.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Fála HI,
    Na minha opinião, no mundo todo ocorre um fenômeno político semelhante: muita gente ruim, poucos com visão de Estado (tipo um Estadista como antes já não existe) e o BRA obviamente não fica de fora disto.
    Hoje estamos (e me incluo) ignorantes, aculturados, dominados pelo Estado e pela Mídia (leia-se Estado e grupos privados poderosos)... No BRA, o povo é mobilizado pra ir pra rua contra a corrupção, apenas quando se trata sobretudo de um partido político (e olha que não sou partidista de ninguém), mas quando continuam lá os barões que estão sucateando o Estado (nos 3 poderes), fica tudo bem.... Se vê que está cada um interessado em si próprio e visão do coletivo, zero.

    Enfim, voltando para o que interessa, toda esta turbulência política, em época de eleição, pode afetar os rumores do mercado que sofrerá oscilações. Será uma oportunidade para ampliar posições, mas também pra aguentar o possível tranco!!

    Te add no meu blogroll e se o meu tiver no perfil, te peço uma força!!

    Um abraço,
    @-@ Ativos for Change

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo AFC! Adicionei o seu blog aqui tb.

      Todas as pessoas inteligentes e boas que conheço preferem ficar longe da política. Então o que sobra pra nos governar, são os esperto, pessoas mal intencionadas, que enxergam a política como um meio de enriquecerem rapidamente. O povo, apesar de ter, em parte, culpa por eleger esses maus políticos, não tem muito controle sobre quem vai parar na política. Por isso sou a favor que houvesse uma filtro (tanto intelectual, quanto moral) para um candidato concorrer as eleições. Agora não adianta nada exigirmos políticos honestos, se nós mesmo cometemos pequenas infrações, burlamos as leis, damos "um jeitinho". Acredito que a política de um país reflete o nível cultural de um povo.

      Se houver uma queda generalizada em ações de boas empresas, quem tiver liquidez poderá abrir ótimas oportunidades em boas empresas e FII. Estou esperando igual um jacaré! rs.

      Abraços!

      Excluir
    2. Obrigado Hank, é nóis!

      É sim, o Brasil é um país novo perante a tantos países do velho mundo. Tenho a esperança que vamos nos endireitar um dia, nem que seja para os nossos bisnetos, hahaha

      Quanto a quedas, eu não sei. Meu aporte é baixo, mas minha filosofia é, o que tenho que aportar aporto...se tiver em queda, vem em queda, se não tiver, vai no ativo que avalio ser adequado e boa; bola pra frente!

      Abraços @-@

      Excluir
  6. Independentemente da posição política, Bolsonaro é um indigente intelectual. Mesmo que ele não ganhe, o simples fato de as pesquisas apontaram uma expressiva intenção de voto mostra que chegamos ao fundo do poço da política.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Jardineiro, tenho até vergonha ele dizer que representa os militares e já vestiu a farda um dia. Talvez ele represente uma parcela da sociedade, de extrema direita, que tem uma visão míope do mundo atual, se agarrando em velhacarias dos “tempos áureos da ditadura”. Se ele fosse inteligente mesmo, não se colocaria em posições extremadas a respeito de assunto sérios e assim, já seria eleito no primeiro turno por falta de adversários à altura.
      Estamos mal de políticos, muito mal mesmo. Não há muita opção.

      Excluir
  7. No início dos anos 90, familiares e amigos próximos que eram militares tratavam o Bolsonaro como um palhaço, uma vergonha para a caserna. O curioso é que essas mesmas pessoas parecem ter esquecido o quanto o então capitão era mal quisto dentro do próprio exército e hoje parecem ter sido seduzidos pelo canto da sereia.

    No mais, é isso mesmo. Estamos muito mal. O cenário é pior para o "pensamento" liberal, que se agarrou a essa figura tosca, mostrando que realmente não existe liberalismo no Brasil.

    ResponderExcluir