quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

A falácia da frase: venda seu carro e ande de Uber

Olá colegas!

Tenho notado a proliferação de textos em blogs contabilizando os inúmeros gastos que um carro demanda, que é um sugador de dinheiro, que carro é passivo bla bla bla. Até aí nenhuma novidade. Todos nós sabemos dessa realidade e quem compra um carro faz (ou deveria fazer) uma lista de vantagens e desvantagens que um carro proporciona. O que me deixa perplexo é a quantidade de textos que simplesmente induzem seus leitores a vender seus carros e passar a contar apenas com a disposição de tecnologias de compartilhamento e aluguéis de veículos, sem considerar a realidade dos fatos (e dos números!).

Será que alguém aí já colocou na planilha todos os custos de manter um carro e comparou com os gastos ao depender somente transporte público e de aplicativos pra se locomover ? Não ?
Bom eu fiz ! E demonstro aqui nas tabelas abaixo.

Pra início de conversa, em qualquer simulação, devemos introduzir dados de entrada. E como eu escolho esses dados de entrada? simplesmente arbitrando o padrão médio de consumo de uma classe social. Escolhi o padrão médio de consumo de uma população que trabalha e ganha 2 salários mínimos per capita, ou seja,  o homem e a mulher trabalham e ganham no total 4 mil. Esse casal vai pro trabalho todos os dias de carro (um populixo) nesse trajeto. Viajam pelo menos um fim de semana por mês para uma cidade próxima (uns 100 km) pra visitar um parente qualquer.

Obviamente que esse mesmo casal também usa o carro pelo menos uma vez por fim de semana (sábado ou domingo) pra jantar fora. Não sei se esse é o padrão de consumo da classe média brasileira, que tem uma renda líquida mensal de uns 4 mil reais. Precisei arbitrar um padrão de consumo para uma determinada faixa de renda mensal. Se o seu caso for diferente, é só colocar os seus dados de entrada numa tabela simples mesmo e comparar, como eu faço aqui.

Seguindo em frente, esse casal lê o texto na internet e resolve fazer as contas pra saber se vale a pena vender seu "passivo" e passar a andar somente de transporte público e Uber (ou correndo risco de vida no 99).

Primeiro eles fizeram uma lista das despesas que seu carro gera. A tabela abaixo apresenta os gastos anuais que um carro do tipo populixo seminovo (2015 em diante).

Atenção, os dados são uma média e obviamente irão variar em cada tipo de carro e outros fatores p/cálculo do seguro.
Obs 1.: Padrão de consumo - esse casal mora 15 km de distância do trabalho e usa o carro pelo menos um dia do fim de semana pra passear e pelo menos uma vez por mês pra viajar a uma cidade distante 100 km. 
Obs 2.: Custo de oportunidade anual = taxa selic
Obs 3.: Depreciação do veículo = 2000 reais por ano

Agora eles calcularam o valor gasto com transporte público e aplicativos. Aqui um parêntese: há muita variação de preços de cidade pra cidade, tornando a tarefa de calcular a média um pouco distorcida. Aqui no Rio de Janeiro, percorrer a distância de 15 km, dá um gasto médio de uns 20-25 reais a corrida em aplicativos.

Vamos colocar na planilha o maior valor, 25 reais (sempre o pior cenário). As despesas com aluguel de carro pra viajarem uma vez por mês dá um valor médio de 300 reais (sábado e domingo). Ainda terão despesas com combustível para abastecer o carro alugado, uns 300 reais de combustível pra irem e voltarem e passearem de carro na cidade que forem visitar. E, por fim, vem os gastos com transporte público: Aqui, também há muita variação de cidade para cidade. Eu fiz os cálculos considerando a passagem de ônibus a R$ 4,05. As despesas estão abaixo. Reparem que eu abati as despesas totais pelo juros do valor do carro que foi aplicado no tesouro selic. Os valores são também anuais:

Conclusão: Para economizar pouco mais de 1 mil reais por ano, vc perde o conforto e a praticidade de possuir um carro na garagem à disposição. Isso pra mim não é ser frugal, não é ser econômico, é ser mesquinho mesmo!! Há uma linha bem tênue entre ser frugal e ser pão duro sem noção. É preciso ter bom senso pra distinguir se a economia gerada com uma contenção de despesas é mesmo necessária e proporciona benefícios, não só financeiros, mas principalmente á sua saúde física e mental.

Imagina vc frequentemente perdendo a paciência pq o motorista está demorando e vc vai perder um compromisso...


...Ou então enfrentando essa guerra todo dia para economizar míseros 1 mil reais por ano!

Valeu pessoal!

17 comentários:

  1. O que mais se tem hoje em dia é cagação de regra.
    É duro ler textos de pessoas bitoladas que só enxergam os gastos, porra, na vida dessas pessoas tudo é gasto, mas se esquecem que são poucas cidades no país que têm uber, sem contar que em algumas cidades não possuem nem táxi.
    Em alguns casos não ter carro pode até sair mais caro do que ter um.
    Comprar um carro, moto, casa, roupa, ir no dentista, médico, fazer academia, entre outras coisas não vão te impedir de atingir a financeira, nem vão te atrasar no processo.
    A independência financeira se atinge com boas escolhas, bons estudos e tempo, vivendo uma vida equilibrada, o resto é texto de coach manada que se aproveitam das frase, pensamentos e textos de efeitos, para iludir os recém chegados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso anon! Cagação de regra, sem limites. Como se nós fossemos todos iguais, com vidas semelhantes. Longe, mas muito longe da verdade, ainda mais num país tão desigual como o nosso.

      Conheço pessoas que tem um Fiat Mile ou Ford Ka, só fazem o básico da manutenção, não tem seguro, pagam IPVA barato (ou não pagam) e são muito mais econômicas do que comparado a bestas pegam metro, barca, trem e no fim do mês gastam horrores com transporte público. E ainda se acham inteligentes.

      Concordo, IF é um conjunto de boas escolhas e sabedoria, pq a estrada é longa e muitos vão morrer na praia por falta de disciplina e sabedoria em dosar a mão nos aportes.

      Abs!

      Excluir
  2. Lúcido seu comentário, mas é preciso que se pense que não serve para todas as pessoas. Dependendo da vida que leva isso pode acontecer ou não.

    No meu caso, que não serve de exemplo mas é relevante para mim, eu tinha 2 carros por causa da distância entre meu trabalho e da patroa e, agora morando perto do meu trabalho, não fazia sentido ficar com dois carros.

    Fiz essa conta porque única e exclusivamente estamos agora morando perto dos nossos trabalhos e mantivemos o carro porque a filha estuda longe. Nesse caso, fez sentido ficar com um só.

    E caso a filha não estudasse tão longe, vender o carro e ficar só de aplicativo ia sair MUITO mais barato mesmo, diferença absurda.

    Mas minha realidade é de cidade média. Rio e São paulo sem carro é um negócio quase proibitivo.

    Valeu!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Robson, por isso deixei claro nos meus dados de entrada, selecionando o consumo médio da população daquela faixa de renda. Para os abastados, que gastam absurdos com IPVA, seguro caro, além do próprio valor do veículo, a diferença aumenta bastante, se comparado aos transportes públicos. Mas até para esses que estão pensando em economizar e vender seu carro bacana, poderiam apenas trocar por um modelo mais simples (ao invés de cair drasticamente de padrão) e continuar com a vantagem de possuir um carro à disposição.

      A escolha de ter um carro não é puramente racional, em termos financeiros. Devemos ponderar também o prazer de dirigir e passear com a família, a praticidade que o veículo oferece numa emergência médica, além de reduzir o estresse diário, por oferecer segurança, conforto e privacidade.

      Abraços

      Excluir
  3. Morava em Brasília e tinha dois carros.
    Agora, moro em BH e faço praticamente tudo a pé.
    Mas, ainda assim acho negócio ter um carro na garagem.
    Essa de ficar pegando uber/táxi quando precisar sair ou alugar para viajar, para mim, não funciona.
    É um custo como outro qualquer.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além de ser um custo, não é prático e se não controlar os gastos, facilmente irá gastar, sem perceber, muito mais do que ter um carro popular. Cidades em que tudo é longe, como DF, é dolorido ficar sem carro. Aqui, na zona sul do RJ, vc faz quase tudo a pé (ou de bike) pq o comércio e serviços são relativamente próximos, dá pra ficar de boa no esquema Uber/metro/ônibus, sem necessidade de veículo.

      Abraços!

      Excluir
  4. Compartilho da mesma opinião Hank. Eu comprei um carro por esses dias, confesso que eu até pouco tempo também estava bitolado com esse negócio de gastos, gastos. Comecei a perceber que o meu "Deus" estava sendo o dinheiro, como para muitas pessoas é. E com ajuda de alguns conselhos do meu pai decidi me dar esse conforto. E quer saber? vale a pena! Além do conforto que um carro proporciona para você e sua garota rs, você é mais bem visto pela sociedade quando tem um, querendo ou não, ter boa aparência,ter um bom carro, abre portas e calcinhas. Então seu o Fdp do Frugal tem condições de ter um carro e deixa para ter só quando alcançar a IF aos 40 years old, me desculpe esse cara, mas ele pode se arrepender.

    É aquela história, será que se o cara caísse em uma cama com câncer amanhã e tivesse só 1 ano de vida, ele iria aportar nesse 1 ano ? enfim. Como você disse, tem que ter equilibrio, dá para aportar e viver bem, o negócio é buscar aprimorar suas habilidades para ganhar mais com o trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Peão Playboy! Nós devíamos escutar mais nossos pais, tendemos a nos achar mais inteligentes do que a geração passada, mas esquecemos que eles têm mais quilometragem do que nós, rs! Carro tem esse impacto na sociedade, te dá um status. Apesar de não ligar muito pra isso, confesso que já me aproveitei de inúmeras oportunidades de baixar algumas calcinhas no banco de trás. E quem disse que não foi econômico? Só o que eu economizei com a conta do motel foi um valor considerável, sem contar que depois é só despachar a moçoila na casa dela e ir pra sua feliz da vida;)

      Valeu!

      Excluir
  5. vc está certo
    no meu caso: trem (para trabalhar seg a sexta) + uber (eventualmente) resolve
    meus gastos com trem por ano giram em torno de 1.300 reais
    uber não calculei, mas creio que não compensa manter um veículo

    nao sabia que o 99 estava tão perigoso

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para algumas pessoas, ficar sem carro é um bom negócio, simplesmente pq não há uma fórmula mágica que funciona para todas as pessoas. O importante é saber o motivo das suas escolhas e se elas são sábias sob diversos pontos de vistas (e não somente o lado financeiro)

      Abraços meu amigo!

      Excluir
    2. Já passei alguns sustos nesse 99. Só pra citar uma, um motorista passou a viagem toda acelerando abusivamente e parecia que o cara queria arrumar encrenca com alguém no transito. Noutra viagem, a conversa do motorista era suspeita, parecia que ele queria detalhes da minha vida, além de sugerir pegar um atalho por uma favela. Cortei o papo e inventei uma desculpa dizendo que um parente passou mal e desembarquei antes do fim da corrida.

      Excluir
  6. Compre um Corolla dos anos 90 e seja feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou talvez um Honda Civic dessa mesma década. Carro muito bom e durável, coisa que não se fabrica mais.

      Excluir
  7. Eu ODEIO andar de Uber.
    O cara vem quando quer, dá a volta, cancela, deixa vc na mão, muitas vezes não sabe dirigir, fica olhando pro celular, conversando no celular, é um carro ruim, sem conforto e sem segurança alguma. Essas contas são todas idiotas. Uber não me dá agilidade nenhuma. Se vc tem muitas coisas pra fazer num dia em vários lugares, vai pegar 10 uber? Não dá. A única exceção que talvez valha mesmo a pena é pra quem mora na capital São Paulo ou na Zona Sul da capital do Rio de Janeiro. No resto do Brasil não vale a pena. Tô fora. Tô mt feliz com meu carro, meu som, meu ar condicionado, minha agilidade e minha destreza no trânsito, além da extrema segurança do veículo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre FS! Bom vê-lo por aqui! Sempre que leio relatos na internet de pessoas que venderam seus carros pra andar só de Uber, fico consternado. Pô, perde-se muito a liberdade de ir e vir. Sem contar esses inconveniente que vc citou. A gente alerta, mas quem quiser ir lá economizar uns trocados e passar sufoco, boa sorte pra eles né!

      Um abraço!

      Excluir
  8. Adoro dirigir e para mim é um dos prazeres que consegui manter mesmo nos momentos mais difíceis para mim e só abrirei mais do meu carro caso realmente necessite fazer isso financeiramente (preciso do dinheiro do valor do carro ou não esteja próximo de não conseguir lidar com os gastos de um carro)

    Nunca tive os problemas citados aqui nos comentários com Uber - na minha cidade parece funcionar bem, mas minha questão é o prazer de dirigir mesmo.

    Acredito que os aprox. 90 reais mensais de economia possam fazer falta pra muita gente, mas, sendo direto, se 90 reais fazem toda a diferença no final do mês talvez ela não devesse ter carro ( ou usá-lo com muita frequência), ou nem mesmo deveria andar de Uber pois ambos já seriam um custo caro pra ela.

    K.T.
    thekronostrader.blogspot.com

    ResponderExcluir