sábado, 11 de abril de 2020

100% em renda variável?!

Fala pessoal,

Estamos todos preocupados com as consequências desse vírus chines que se espalhou pelo mundo, mas isso não é motivo pra desanimar na nossa caminhada rumo a IF. Pelo contrário, devemos nos motivar (uma das formas é trocar idéias por aqui) e aportar forte na medida do possível. 

Não sei quanto a vcs, mas eu já estou de saco cheio de ficar ouvindo  sobre esse vírus, e pior isso, não gosto de ficar comentando e bancando o especialista, sendo que sou um completo ignorante nessa área. Acho que poucos aqui comentaram a respeito das ótimas oportunidades que apareceram e irão  aparecer na renda variável nos próximos meses (uma possibilidade). 

Excelentes empresas aqui no Brasil e no exterior com desconto de 30, 40% ou até mais e o pessoal em silêncio. Talvez tenha uma legião de seguidores do Bastter se lamentando por aí, exatamente aqueles que dizem "preço não importa" levando um prejuízo enorme. Sempre achei ridículo a ideia de estar investido 100% em renda variável. A renda fixa tem sua utilidade, e nesse momento, estamos todos comprovando que o mantra "quem tem dinheiro é rei" tornar-se cada vez mais acertado em períodos de crise.

Como vcs podem ver nos meus posts anterior, possuo mais de 40% do meu patrimônio na poupança, esperando uma oportunidade como essa. Crises sempre ocorreram e provavelmente ocorrerão no sistema capitalista, sistema esse muito frágil em ideologia e em termos práticos no sentido de satisfazer necessidades humanas básicas. Moro no Rio, e me dá ojeriza presenciar favelas, sem um mínimo de saneamento básico ao lado de luxuosos condomínios. Não, não sou esquerdista, mas defendo uma melhor distribuição de renda, sempre através da meritocracia e educação de qualidade para todos. Deixando de lado filosofias e política, pessoal, não façam isso novamente, não deixem o dinheiro 100% em RV. Tenha uma reserva de emergência (uns 6 meses é o recomendado) e uma reserva de oportunidade. Uns 20% do patrimônio, já é um bom começo.

Após essa crise, veremos quem tem dinheiro, ter mais e mais (justamente pelo motivo que mencionei das oportunidades) e quem não tem, vendendo até seu rim a preço de banana. Nunca me senti tão aliviado por fazer parte de uma classe de trabalhadores assalariados que possui estabilidade. Fico realmente aflito por colegas no mundo real e aqui mesmo na blogosfera que irão sofrer e até perder tudo (ou quase tudo) por conta dessa crise. Há alguns anos atrás pensei em largar meu atual emprego e empreender. Ainda bem que não o fiz. Se já é difícil ter sucesso nos negócios nesse país de burocracias e alta carga tributária, imaginem agora!

É isso meus amigos, boa sorte a todos, e se Deus quiser passaremos logo por esse período conturbado.

14 comentários:

  1. Eu não acho que uma crise como essa seja justificativa para uma pessoa ser assalariada o resto da vida. Acredito que existam muitas assalariados que nem vivem, apenas vegetam, porque odeiam seus empregos, são obrigadas a fazer coisas que odeiam. Querendo ou não, empreender te da liberdade e oportunidade de conseguir coisas de acordo com oque você se esforça, além de ser seu próprio patrão.

    Enfim, mas estou falando por mim, cada um é cada um. Vendo a história de empreendedores de sucesso, é dificil um que nunca faliu e não passou por problemas, mas no final acabaram vencendo.

    Sério, não consigo me imaginar sendo mandado para fazer serviços que não gosto e trabalhar em algo que odeio. Mas é meu perfil, como disse.

    Eu acho que no aspecto financeiro, o melhor aprendizado dessa crise seja realmente a tal Reserva de emergência, creio que todos terão uma reserva gorda depois dessa crise passar. Até para quem tem uma empresa.

    No mais.. não consegui entender o seu comentário sobre o Bastter " Talvez tenha uma legião de seguidores do Bastter se lamentando por aí, exatamente aqueles que dizem "preço não importa" levando um prejuízo enorme"

    Poderia dissertar melhor sobre isso ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bastter sempre pregou que preço de ações não importa. Sendo a empresa boa, pode custar uma ação R$ 5, ou até R$ 100 reais, o importante é comprar sem se preocupar com o valor vendido no mercado.

      Com o crash de março, mtos buy and holds se fuderam seguindo esta teoria bastteriana.

      Excluir
    2. Fala Peão! Eu não quis dizer que essa crise é motivo pra pessoa se acomodar em ser assalariada, até pq um assalariado nunca está muito seguro. Basta um desemprego. Totalmente diferente é o universo de uma pessoa que possui estabilidade num cargo público. Para essas pessoas saírem de seus empregos "garantidos" e tentarem a "sorte" no empreendedorismo é de uma coragem e tanto, ainda mais nesse país, que faz de tudo pra complicar a vida do empresário com legislação trabalhista e tributária muito desfasadas à prática comum dos países mais voltados ao mercado.

      Essa história de ser seu próprio patrão tem dois lados da moeda. Primeiro que vc nunca terá 100% de liberdade: experimenta parar alguns dias por conta de um problema de saúde, para ver todo seu ganho derreter. Segundo que vc nunca poderá deixar seu negócio tocando sozinho, precisará sempre estar de olho para não ser roubado de inúmeras formas, seja pelos funcionário, seja pelos fiscais, etc. E tb, quem possui clientea fixa, sempre precisará atender aos caprichos dos clientes mais exigentes, o que não deixa de ser um "chefe" te exigindo sempre mais qualidade de produtos/serviços a um preço menor. Claro que na face positiva da moeda, vc poderá fazer seus horários, terá ganhos proporcionalmente maiores, dependendo dos seus esforços, etc etc.

      Trabalhar no que gosta, é extremamente raro, conheço pouquíssimas pessoas assim. Até aquilo que vc ama fazer, um hobby, quando vc coloca em prática trabalhando na área fica chato, pq o seu objetivo ali não é a atividade em si, mas o lucro. E isso acaba com toda emoção e prazer, pq vc faz por obrigação. Pensa no que gosta de fazer. Agora pensa fazendo isso todos os dias, se seg a sab, mais de 8 horas por dia, sendo obrigado, pq vc precisa pagar contas, e não pode deixar de lucrar. Viu como a simples obrigação torna qualquer tarefa enfadonha. Temos que aceitar que o trabalho é trabalho e pronto. A gente vai lá e faz. Diversão só em outras atividades mesmo. O máximo que podemos fazer é escolher um trabalho menos traumático e mais confortável para o nosso dia a dia.

      Excluir
    3. Fala Gari, extamente! Fiz um post que trata exatamente desse assunto, com um exemplo bem fácil de entender.
      https://hankinvestidor.blogspot.com/2018/04/afinal-devemos-precificar-um-negocio-ou.html

      Excluir
    4. Entendi, agora ta melhor explicado seu ponto de vista.

      Excluir
  2. Se fuderam ? Confesso que tenho minhas dúvidas.

    Pelo que estudei da filosofia Bastter, eles seguram ações pelo resto da vida. Então na prática, essas quedas não querem dizer muita coisa, visto que eles não venderam e provavelmente elas devem subir no futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peão, o que o Gari quis dizer, é que eles se deram mal no curto prazo, investindo tudo em renda variável, sem fazer ao menos uma reserva de oportunidade. No longo prazo, todos que escolhem boas empresas pagando qq preço, tendem a ganhar. Mas e aqueles que esperam bons pontos de entrada nessas mesmas empresas? Não terão um desempenho superior àqueles que compraram a qualquer preço? No mercado de ações e de FII tb, não existe o certo e o errado. São teorias que no longo prazo podem se mostram acertadas ou não. Até pq isso aqui não é ciência exata. Mas a teoria do Bastter, que aliás nem é dele, o tal "preço não importa", pra mim, não faz o menor sentido matemático. Deixei o link aí em acima mas pra quem não leu, vou resumir: Vamos supor que é oferecido a vc uma padaria. Ela dá lucro, tem uma clientela fiel, possui funcionários e despesas fixas e variáveis e um patrimônio, enfim uma empresa pequena. Agora imagina que te oferecessem cotas dessa empresa a vc. Quanto vc pagaria por ela? 1 real/cota, mil, 100 mil, 1 milhão? Pagaria qualquer valor que te pedissem?
      O método de avaliar o preço justo de uma empresa é uma teoria bem grande, e não cabe aqui. Fica a dica pra quem se interessar por esse assunto.

      Excluir
    2. Eu compreendi isso aí Hank, só que não foi essa a questão. Eu acho que os seguidores do Bastter não se fuderam nessa pandemia, porque a maioria estão bem orientados a não vender, então se a bolsa caiu ou não, não fez diferença para o patrimônio deles ao longo do prazo. Segundo o Bastter diz em seu livro, quem fica esperando as oportunidades certas para entrar na bolsa, acaba perdendo as melhores oportunidades, e ele mostra diversos gráficos provando essa teoria dele. Porque no dizer dele, quem compra na baixa, tem tendência de querer " efetuar lucro" na alta e com isso tendo que pagar taxas, impostos e etc. E as vezes demorando anos para uma nova oportunidade surgir e o cara fica de fora da festa dos dividendos.

      Enfim, estou terminando de ler o livro dele agora, e achei a filosofia dele de investimentos muito sólida e segura.

      Excluir
    3. Um exemplo disso que vi muita gente se gabando depois que o Covid apareceu que tinha vendido suas açoes em janeiro na alta. Mas quem garante que essa bolsa não chegaria a 150k se não tive aparecido a maldita doença? quem efetuou o tal lucro, ficaria de fora e se tudo desse certo, poderia demorar anos para o cara encontrar uma janela novamente.

      Mas se você me disser que estamos no melhor momento para entrar na bolsa em anos, ai eu concordo com você. Mas de um jeito ou de outro, eu estou com o Bastter. No final da história oque importa é os dividendos.

      Excluir
    4. Eu gosto de muitas coisas do Bastter, porém não concordo com o tal "preço não importa". Inclusive os livros dele são muito bons!!!

      Excluir
    5. O importante é cada um ter sua própria estratégia e não seguir cegamente uma doutrina como se fosse um dogma. Há muitas "verdades" por aí ditas como se fossem certezas absolutas. Eu escolho minhas ações baseado mais no conjunto de ensinamentos de diversos autores que tenham idéias afins, sem contradição no conjunto. Com o tempo verá que a ideia de preço não importa deixará vc na mão em grandes oportunidades como essa em crises mundiais, que, repito, sempre ocorreram e tem uma grande probabilidade de ocorrer no futuro. O argumento de que poderá ficar "de fora da festa" esperando essas oportunidades é rebatido simplesmente com a estratégia de compras pequenas e periódicas em mercado de alta, e compras mais volumosas em crises. `
      Abs!

      Excluir
  3. Sigo o bastter
    Preço normalmente não importa quando a empresa tem bons fundamentos

    Crises como essas são raras e não há nada de errado de se aproveitar preços promocionais

    Para ter reserva de oportunidade basta guardar mais dinheiro na poupança ou em TD Selic
    Ou seja, aumentar a reserva de emergência ou a RF

    no forum bastter aprendi q devemos manter pelo menos 25% do patrimônio em RF

    É muito bom ser funça nessas crises

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb me sinto aliviado por ser funça nessas horas. Imagina se empreendedor de um pequeno negócio apostando todas suas fichas?! Acho que não conseguiria dormir! Rsrs. Mas espero que todos fiquem bem, até pq nosso salário depende do recolhimento dos impostos que as pessoas corajosas ganham em seu dia a dia de muita luta e sofrimento nesse mercado hostil. Abraço!

      Excluir
  4. Eu mesmo, por exemplo, tô usando a crise pra poder estar prestes a comprar um apartamento com um desconto de cerca de 150K como acabei de postar... Tenhamos foco no que queremos e o resto a gente consegue safar! 💪🏼💪🏼

    Forte abraço!!!

    IF

    ResponderExcluir